Módulo do SIGA acompanhará gestantes e bebês de até um ano através de um prontuário eletrônico

Sistema será implantado nos municípios prioritários para redução do índice de mortalidade infantil no estado, meta do Programa Goiás Mias Competitivocollage

Goiás atualmente está em 12º lugar no ranking nacional de mortalidade infantil. Isso quer dizer que a cada 1.000 nascidos vivos, há 13,86 óbitos. Visando a continuidade no processo de melhoria nas ações de saúde do Estado de Goiás, a Secretaria de Estado da Saúde (SES-GO) e a Secretaria de Gestão e Planejamento (Segplan) pactuaram metas dentro do programa Goiás Mais Competitivo de reduzir este índice em, pelo menos, 30% até 2018.

Entre as propostas essenciais para atingir esta meta é a implantação do SIGA Mamãe e SIGA Bebê, módulos pré-natal do projeto SIGA Saúde Goiás que visa acompanhar a gestante e o bebê até 1 ano atendidos pela rede pública de saúde, por meio de um prontuário eletrônico. Agora aquelas famosas cadernetas da gestante e da criança serão digitais.

De acordo com Marina Carvalho, coordenadora do Ciclo de Vida da Gerência da Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente no Estado de Goiás, um dos motivos que pode ocasionar o aumento da mortalidade infantil é a falta do acompanhamento pré-natal obrigatório. Para minimizar riscos, a gestante deve realizar, no mínimo, 7 consultas, além do pós-operatório.

“Através do SIGA Mamãe e SIGA Bebê serão monitoradas enfermidades e ocorrências, inserção de informações de rotina da mãe e da criança, anexo de exames realizados, avaliação de consultas, entre outras ações que permitirão acompanhar a evolução gestacional e o primeiro ano de vida do bebê, além da qualidade de vida desses pacientes”, explica a coordenadora.

As cidades de Quirinópolis, Itajá, Lagoa Santa e Caçu, na região de saúde Sudoeste I, já estão utilizando o sistema. A implantação vai priorizar as ações de intervenção nos municípios com maior Taxa de Mortalidade Infantil (TMI), sendo eles: Águas Lindas, Anápolis, Aparecida de Goiânia, Bom Jesus de Goiás, Caldas Novas, Campos Belos, Catalão, Cidade Ocidental, Cristalina, Formosa, Goianésia, Goiânia, Goianira, Inhumas, Itaberaí, Itapuranga, Itumbiara, Jaraguá, Jataí, Luziânia, Mineiros, Novo Gama, Planaltina, Posse, Rio Verde, Santa Helena de Goiás, Santo Antônio do Descoberto, Senador Canedo, Trindade, Valparaíso de Goiás, responsáveis por, aproximadamente, 76% do total dos óbitos infantis no Estado.

As unidades de saúde que não receberem a implantação do SIGA Mamãe e SIGA Bebê neste primeiro momento irão preencher um formulário com os atendimentos das gestantes e dos recém-nascidos e encaminhá-lo para a Secretaria Municipal de Saúde de cada município, que fará o lançamento dos dados no sistema.

Em junho deste ano já foram realizadas customizações iniciais nos módulos para atender as demandas. Pelo sistema, já se identificam as gestantes georreferenciadas, ou seja, onde elas residem e como serão realizadas as ações de saúde para conscientização deste público. O objetivo é que todos os atendimentos de Pré Natal estejam registrados no SIGA para monitoramento estadual.

siga-tela-sis-prenatal

Prontuário Eletrônico: o objetivo é que todos os atendimentos de Pré Natal estejam registrados no SIGA para monitoramento estadual.

Educação continuada

O SIGA Mamãe e o SIGA Bebê são hoje prioridades para o SIGA Saúde Goiás. Ao longo do processo de implantação destes módulos, a partir de julho de 2016, serão realizados treinamentos com pelo menos 2 profissionais de cada município e para todas as 18 regionais de saúde do Estado ensinando a utilizar o sistema. Essa capacitação incentiva o uso do sistema nas unidades de saúde e garante que os dados dos pacientes sejam coletados corretamento e com êxito.

Para Diana Guimarães, coordenadora do projeto SIGA Saúde Goiás, uma educação continuada garantirá que todos os envolvidos na coleta das informações, sejam eles médicos ou enfermeiros, entendam a finalidade e a importância dos registros para que sejam cumpridos os desafios.

“A educação continuada é essencial para que a implantação do SIGA Mamãe e Bebê tenham resultados positivos. Um sistema de informação só tem sucesso se a inserção dos dados refletir a realidade. Além disso, o monitoramento contínuo dos dados, feito pela equipe da Gerência de Saúde da Mulher, Criança e do Adolescente, permitirá identificar os eventuais problemas que possam ocorrer”, explica.

O SIGA Saúde Goiás é parte do Programa Estadual de Inovação e Tecnologia – INOVA Goiás – e desenvolvido por profissionais da Tecnologia de Informação da Secretaria de Estado da Saúde em Goiás.

 

Deixe uma resposta.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>